quinta-feira, 9 de fevereiro de 2012

National Geographic promove Douro

O projecto Geoturismo - Vale do Douro MapGuide, apresentado hoje em Alijó, pretende divulgar o património, cultura, história e pontos turísticos da região duriense, contribuindo, assim, para o desenvolvimento da sua economia através de um turismo sustentável.
Os habitantes, organizações comunitárias, empresas locais e agentes de turismo poderão inscrever no website, de forma gratuita até 5 de Maio, pontos de interesses a visitar no Douro como quintas, adegas, museus, trilhos pedestres e unidades de alojamento.
Posteriormente, os redactores do website analisarão as propostas e se forem distintivas e exclusivas do Douro serão integradas no portal eletrónico.
O gestor de programação para Turismo Sustentável da National Geographic Society, Jim Dion, salientou que o website pretende atrair visitantes, maximizar a sua experiência, preservar a bacia do Douro e melhorar as ofertas existentes na região.
Assim, a "missão" da National Geographic é convencer as pessoas a viajar pelo mundo e, neste caso concreto, a visitar o Douro.
No website, explicou, vão constar micros, pequenas e médias empresas existentes na região, pelo que o propósito é mostrar aos visitantes a "autenticidade" do Douro.
Por seu lado, o chefe da Estrutura de Missão do Douro, Ricardo Magalhães, um dos parceiros no projecto, frisou que a região duriense tem de figurar nos destinos mundiais de excelência.
E o website, segundo o responsável, irá agregar o Douro numa rede mundial e tornar os cidadãos activos e "parte" do processo de divulgação.
"Temos de dar a conhecer o desconhecido, o autêntico e o que de melhor se faz no Douro", afiançou Ricardo Magalhães.
O dirigente acredita que se o website conseguir projectar o Douro "além-fronteiras", então a região passará de uma terceira divisão para uma Liga dos Campeões.
António Martinho, presidente do Turismo do Douro, explicou à Lusa que o website é "muito interactivo", de fácil inserção de dados e pesquisa e possibilita a um habitante da Nova Zelândia conhecer "as maravilhas" da região.
Por isso, o director considera fundamental a participação dos operadores e das empresas no projeto.
O presidente da Comunidade Intermunicipal (CIM) do Douro e também da Câmara de Alijó, Artur Cascarejo, ressalvou que pelo facto de o Douro ter uma "série" de marcas afirmadas, as pessoas pensam que não é necessário fazer mais nada para o promover, mas essa é uma ideia errada.
O projecto vai permitir ao Douro, realçou, um "enorme" retorno económico desde o "mais pequeno" negócio familiar ao "mais complexo" e, assim, todos têm as mesmas oportunidades.
"O que falta ao Douro é projecção internacional e, hoje, qualquer realidade tem de estar em força na internet e redes sociais", ressalvou.
O projeto tem um financiamento de 120 mil euros, comparticipado a 90 por cento por fundos comunitários e pelo Turismo de Portugal e dez por cento pelo Turismo do Douro.

Sem comentários:

Publicar um comentário