terça-feira, 20 de março de 2012

Visita de Estudo ao Concelho (2012-3-19)

Depois de um período de intenso trabalho, esta visita de estudo revelou-se uma verdadeira bênção. Partimos da escola por volta das 9:00h na companhia do já nosso velho conhecido arqueólogo Tiago Gomes (a quem aqui fica o nosso reconhecimento pelas pacientes explicações fornecidas) que orientou a visita. O entusiasmo impregnava o ar. Nem o ar gelado de março nos retirou a alegria. Apesar de "desligados" das aulas, não poderíamos esquecer o nosso projeto, fazendo questão de "agitar" todos os locais por onde passávamos.  

Embora os pontos visitados já fossem sobejamente conhecidos por alguns, há pormenores que passam despercebidos ao olho amador e que só o olho treinado de um arqueólogo deteta e para os quais ele fez  questão de chamar a nossa atenção. 

Começamos por visitar o Castro do Pópulo (ver fotos abaixo) sito no aldeia do homónima, também conhecido poCastelo de São Marcos ou ainda pela designação de Castro da Touca Rota. 



Segunda linha de muralha do Castro











Este povoado fortificado situa-se na extremidade nordeste do planalto de Alijó e está classificado como Imóvel de Interesse Público. Data da Idade do Ferro sofrendo  posteriormente um processo de romanização.
É constituído por duas linhas de muralha, troços das quais ainda se encontram em excelente estado de conservação. 





Outra vista da muralha 

















No sopé, do lado acessível, localiza-se a Capela de S.Marcos. 




Um pouco mais abaixo, visitamos também a Capela da Sra. da Boa Morte.  






Daí zarpamos rumo à aldeia de Perafita, onde visitamos o complexo do Santuário do Sr. de Perafita constituído pela Igreja, a Torre Sineira, a Casa dos Milagres, Capela do Sr. dos Milagres e a Fonte junto à Capela. 


A Igreja - é um típico exemplar da arquitectura religiosa do 
 século XVIII. Apesar da profusão decorativa da fachada frontal, tanto o restante exterior como interior primam pela simplicidade.  
Pormenor da fachada da Igreja

Torre Sineira - situa-se entre a Igreja ea Casa dos Milagres. Destaca-se de edificações semelhantes pela sua singularidade, pois encontra-se separa da Igreja. Alguns subiram mesmo até ao sino. Em termos decorativos é muito semelhante à Igreja. 




Casa dos Milagres - destaca-se pela simplicidade das suas formas. Ainda continua a cumprir a sua função de abrigo para guardar as tábuas votivas e outros ex-votos. 

                                                           Interior da Casa dos Milagres 


Capela do Senhor dos Milagres - apresenta uma estrutura muito semelhante à dos outros dois edifícios e igualmente simples. Abriga  a imagem de Cristo no acto da crucificação.

A Capela vista a partir da Torre Sineira 

Via Romana que conduz à Capela

Fonte junto à Capela 

Apresentamos de seguida algumas perspetivas da vista da capela: 




Outros pontos de interesse:
Este relógio de sol encontra-se no telhado da Casa dos Milagres e é um dos poucos exemplares existentes no concelho.


Atentem as estas pedras arredondados e furadas ao centro. São únicas no concelho. Desde de há muito que são usadas nesta aldeia, criando ramadas ímpares. É pena que estejam a desaparecer!

De seguida, viajamos até ao complexo do Santuário da Nossa Senhora da Piedade (em Safins do Douro) para uma merecida pausa e para apreciar um belo repasto em alegre convívio.

Deixamos aqui uma amostra da idílica paisagem sobre o Douro. Mas, obviamente, nada como um aproveitar o fim de semana para dar lá uma escapadinha.




O dia terminou com a visita à ponte romana situada na mesma localidade.



Ainda que exaustos, sentimos que chegamos a casa trazendo na bagagem as recordações de um dia bem passado e uma cultura mais enriquecida. Claro que nada disto teria sido possível sem dedicação da Prof. Leonor Magalhães, da nossa Diretora de Turma e Coordenadora do Projeto, a Prof. Isabel Moreira e aos Professores Valdemar Reis e Cláudia Morais por nos terem acompanhado nesta aventura. Não fica esquecido o inestimável apoio da Câmara Municipal que gentilmente cedeu o transporte para todas estas andanças.  


Sem comentários:

Publicar um comentário